Você sabe o que é e como fazer um planejamento tributário? Veja aqui!

O planejamento tributário é considerado a gestão do pagamento de tributos e que é inerente a uma empresa.

Além disso, incluí o estudo de formas de ter a redução legal da carga tributária e que, também, incide sobre a mesma.

O planejamento deve ser operacional e incluir as obrigações legais, realizando a escrituração das principais operações.

Ao mesmo tempo, o pagamento de impostos está incluso e a melhor opção é alinhar com a equipe contábil.

O planejamento tributário precisa ser estratégico e trata-se de enquadrar a equipe no regime tributário mais indicado.

Dessa forma, confira a seguir como proceder para que você consiga estar dentro do enquadramento legal pertinente. 

Como fazer um planejamento tributário?

Em primeiro lugar, é preciso entender quais são os processos e objetivos da sua empresa, não é mesmo.

Por exemplo: estruturação do capital, ciclos operacionais e estratégicos.

Confira a seguir como ter planejamento tributário.

1- Atente-se a Legislação Tributária

A equipe fiscal e o contador são fundamentais para planejar corretamente, porém você precisa saber sobre o assunto.

Busque ter uma noção básica e participe desse planejamento, uma vez que é o auxilia a ter um bom resultado. 

2- Apure o regime tributário inerente ao seu negócio

Para que o planejamento tributário seja bem-feito, lembre-se de saber quais os regimes tributários que a sua empresa se encaixa.

Em outras palavras, pode ser o lucro presumido, simples nacional, lucro real, etc.

Certamente que essas definições são cruciais para que o planejamento seja correto, além de ser algo essencial para apurar os impostos.

Entretanto, é preciso contar com o auxílio da equipe contábil para aumentar os resultados. 

3- Descubra qual é o impacto do PIS e COFINS dentro do seu planejamento tributário

O mais importante é indicar se o regime será cumulativo ou não cumulativo, inerente ao PIS e COFINS.

Sendo assim, se a empresa opta pelo Lucro Presumido, é necessário apurar os tributos segundo o regime cumulativo.

Se a opção for pelo Lucro Real, a apuração deve ser pelo não cumulativo e o ideal é saber sobre essa diferenciação.

Considerar a contribuição social e o IR (Imposto de Renda) é preciso, mas a economia tributária também. 

4- Defina os planos no curto/médio e longo prazo

Para fazer o planejamento tributário, estabeleça metas e defina aonde a empresa deseja chegar em determinado período.

Avalie o fluxo de caixa e as projeções para o futuro, já que as condições podem alterar o regime tributário.

5- Simule os impactos no cenário de negócio

Por fim, mas não menos importante, se você seguiu as dicas anteriores, a realidade é já avaliou qual é o melhor regime tributário para o seu negócio.

Contudo, é primordial tirar a prova e essa é a proposta principal desse cenário.

Realize simulações tributários de cada regime cotado e confira qual encaixe é mais indicado para a empresa.

Procure considerar os dados levantados em todos os passos e a tendência natural é encontrar a melhor condição. 

Se o passo anterior, ou seja, o quarto, for modificado no planejamento tributário, o regime também deve ser alterado.

O ideal é que seja de uma vez por ano e sempre de acordo com o que foi definido quando você planejou.

Enfim, quer saber mais sobre o assunto? Clique aqui.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.