Fotógrafo pode ser MEI? Veja se há vantagens em se registrar neste regime

Milhares de pessoas foram demitidas e outras tantas tiveram seus contratos de trabalho suspensos, o que reduziu consideravelmente a renda das famílias brasileiras.

No ramo da fotografia, o cenário não é diferente, pois, praticamente em todas as regiões do país os eventos tiveram que ser remarcados para cumprir as medidas de segurança.

Então, muitos profissionais se adaptaram para atender seus clientes e, algumas pessoas têm enxergado na fotografia uma nova profissão, porém, optam pela informalidade, por acreditar que a abertura de um empreendimento pode ser muito burocrático.

Mas, você sabia que esse trabalho pode ser regularizado de forma bem simples? Se você está se perguntando como fazer isso, basta continuar acompanhando nosso artigo. 

Fotógrafos também podem ser MEI? 

O regime MEI (microempreendedor individual) se tornou uma opção de formalizar negócios sem que o empreendedor precise encarar altos valores de impostos.

Por isso, essa é a oportunidade dos fotógrafos que têm interesse em regularizar sua profissão e ainda ter acesso à benefícios e vantagens que são oferecidos ao microempreendedor individual. 

Porém, é preciso cumprir os requisitos para MEI, e dentre eles está o faturamento máximo de até R$ 81 mil por ano.

O empreendedor também não pode ser sócio ou participar de outra empresa. 

Categoria 

A categoria fotógrafo possui um código CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas), que serve para definir de forma padronizada as atividades econômicas do país.

Além disso, existem subcategorias que também podem ser registradas.

Isso amplia seus serviços, como por exemplo, atividades de produção fotográfica para fins comerciais, publicitários, turísticos e pessoais como fotografias para casamentos e eventos sociais.

Veja quais atividades fazem parte do CNAE 7420-0/01.

ATELIER FOTOGRÁFICO

SERVIÇOS DE COBERTURA FOTOGRÁFICA PARA JORNAIS, REVISTAS E EVENTOS

ESTÚDIO FOTOGRÁFICO

SERVIÇOS DE FOTÓGRAFO DE IMPRENSA

PRODUÇÃO POR FOTÓGRAFOS INDEPENDENTES

PRODUÇÃO FOTOGRÁFICA PARA FESTAS E OUTROS EVENTOS

PRODUÇÃO FOTOGRÁFICA PARA FINS PESSOAIS

PRODUÇÃO FOTOGRÁFICA PARA PUBLICIDADE

Designed by fernandoks / istockphoto
Designed by fernandoks / istockphoto

Vantagens da Formalização 

O profissional que opta pelo regime, pode emitir notas fiscais o que garante mais confiança e segurança jurídica ao serviço.

O MEI pode ainda contar com ferramentas que possuem o objetivo de ajudar no desenvolvimento do empreendimento, como por exemplo, o acesso à crédito de forma facilitada.

Além disso, será pago menos impostos e o MEI não precisa enfrentar tanta burocracia para pedir seu registro: tudo é feito de forma bem simples e de forma virtual. 

Outra questão que tem chamado a atenção dos empreendedores atualmente, é a cobertura previdenciária.

Ao se formalizar, o profissional passa a contar com seis benefícios pagos pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), são eles: 

  • salário-maternidade, 
  • auxílio-doença, 
  • auxílio-reclusão, 
  • pensão por morte, 
  • aposentadoria por invalidez 
  • aposentadoria por idade

Quanto custa?

Para garantir todos esses benefícios, é preciso fazer a contribuição mensal à Previdência Social.

Então, esse será o único custo que o MEI terá e deve ser pago por meio do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), mensalmente.

A quantia é fixa e o valor da guia depende da atividade desenvolvida pelo MEI.

Então, para aqueles que querem se registrar ainda esse ano, o valor pode chegar a aproximadamente R$58 o que inclui o INSS, além dos impostos ICMS e ISS que são aplicados à produtos e serviços desenvolvidos no país. 

Como abrir um MEI?

Nós falamos acima que pedir o registro do MEI é simples e, vale destacar, que não possui nenhum custo.

Então, se você quer se registrar como MEI basta acessar o Portal do Empreendedor e cadastrar seus dados pessoais e registrar a atividade que será desenvolvida.

É possível realizar esse procedimento sozinho, mas para te explicar como funciona o MEI, conte também com o apoio de um profissional contábil.

Então, confira o passo a passo para se registar: 

  • Acesse o Portal do Empreendedor e clique em “Formalize-se”;
  • Depois, informe seu CPF; data de nascimento e DIRPF (Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física) caso tenha declarado nos últimos 2 anos; 
  • Se você for isento, informe seu título de eleitor;
  • Procure pela opção “Nova Inscrição” e preencha todos os dados solicitados; 
  • Depois registre os dados da atividade desenvolvida; 
  • Desta forma, você deve conferir seus dados e clicar em enviar;
  • Feito isso, uma mensagem aparecerá informando que o cadastro foi realizado e você pode imprimir o Certificado do MEI.

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Por Samara Arruda