Feedback: como ele impacta no dia a dia dos colaboradores

Engajamento, motivação e qualidade de vida são elementos fundamentais para o desenvolvimento de qualquer organização, atualmente. Daí, então, a importância em saber como o feedback impacta no dia a dia dos colaboradores.

É uma relação próxima: quanto mais orientação e retorno os colaboradores têm em mãos, melhor eles sabem como agir e reagir no ambiente de trabalho, isso os impulsiona a crescer e também agregar valor à empresa.

Esse trabalho tão importante deve ser feito, acima de tudo, com planejamento. Afinal de contas, estamos lidando com pessoas, e qualquer crítica (mesmo as mais construtivas) exige tato e dedicação para que a pessoa extraia o melhor da sua mensagem.

Vamos ver neste post como o feedback impacta no dia a dia dos colaboradores e quais são as melhores (e piores) práticas nesse sentido. Antes de seguir com a leitura, veja o que abordaremos nos tópicos abaixo:

  • O que é a cultura de feedback?;
  • Quais são as vantagens de investir mais em feedbacks?;
  • Como trabalhar a implementação do feedback?;
  • O que não fazer em um feedback?

Vamos começar!

O que é a cultura de feedback?

Simples e resumidamente, trata-se de dar um retorno aos funcionários. A qualquer momento e, também, de maneira planejada.

Por exemplo: após uma tarefa, o gestor pode se reunir com quem realizou aquele trabalho e apontar quais foram os pontos positivos e aqueles que devem ser melhorados para que ele se desenvolva.

De maneira mais aprofundada, a cultura de feedback pode estar dentro de uma avaliação de desempenho. Com ela, o profissional descobre quais são os seus pontos fortes, no ambiente de trabalho, e tudo aquilo que está desacelerando o seu crescimento na empresa. Além, é claro, de estabelecer um contato transparente e direto com os funcionários, fazendo-o perceber melhor a sua importância em todo o fluxo.

Nisso tudo, podemos incluir a avaliação de aspectos comportamentais e técnicos — questões que também agregam ao setor de RH, uma vez que ele passa a compreender quais pontos podem ser abordados em futuros treinamentos.

Dá para entender, então, como o feedback impacta no dia a dia dos colaboradores diante de críticas positivas ou apenas construtivas, não é mesmo?

Quais são as vantagens de investir mais em feedbacks?

Seja por meio do trabalho do RH, exclusivamente, ou em forte parceria com a gestão de cada setor, o feedback pode trazer uma série de pontos positivos para todos os envolvidos. Veja alguns deles, abaixo!

Melhora no clima organizacional

O clima organizacional é fortalecido porque os profissionais vão entender o impacto deles nas etapas anteriores e posteriores do fluxo de trabalho. Como resultado, podem ter mais segurança, atenção e concentração para realizar um trabalho continuamente melhor.

Sem falar que os feedbacks abrem as portas para as novas ideias bem como opiniões e dúvidas. Aspectos que constroem um ambiente mais colaborativo e do qual todos se sentem responsáveis pelos resultados.

Promoção na comunicação da empresa

Conflitos internos são reduzidos quando não restam dúvidas sobre o papel de cada um, na empresa, e quais são as suas responsabilidades. Especialmente, no que diz respeito aos ruídos e desentendimentos sobre a realização de tarefas e sobre os limites de cada colaborador dentro da equipe.

E isso é gradualmente desenhado com feedbacks constantes, que favorecem essa flexibilidade para garantir uma equipe em constante crescimento.

Mais motivação e engajamento

Imagine a empolgação do colaborador após ser elogiado por um bom trabalho. O feedback impacta também no dia a dia dos colaboradores de maneira atrativa, caso eles recebam críticas construtivas, afinal, eles vão aprender como fazer um trabalho melhor.

Isso tudo influencia na motivação e engajamento dos funcionários. Quando existe muita pressão e pouca orientação, esses pilares são facilmente derrubados. O mesmo acontece quando o feedback existe, mas é grosseiro e pouco agregador. Não à toa, essa é uma das grandes causas para o índice de turnover elevado.

Bons resultados

Motivação, dedicação, conhecimentos (técnico e comportamental) e um clima colaborativo. Percebe como esses elementos juntos, ajudam a transformar a sua empresa de dentro para fora?

Como resultado, a lucratividade aumenta e isso pode servir como estímulo para melhorar, inclusive, o progressos daqueles talentos que têm obtido as melhores performances de acordo com os últimos feedbacks. Isso é, sem dúvidas, algo que mantém todos focados em crescer junto com a organização.

É importante destacar ainda, como o feedback impacta no dia a dia dos colaboradores a partir de outros efeitos imediatos de sua prática, como:

  • valor da persistência e do esforço;
  • valorização do desenvolvimento pessoal e profissional de cada colaborador;
  • desenvolvimento de novas habilidades;
  • crescimento da reputação da sua marca;
  • aprimoramento da qualidade de vida no ambiente de trabalho.

São circunstâncias e situações que se acumulam e, o melhor, já em curto prazo a partir do primeiro feedback realizado. Desde que feito com planejamento, é claro — o que veremos logo em seguida.

Como trabalhar a implementação do feedback?

Para entender como ele pode fazer parte da empresa, vamos começar por identificar as funções principais do feedback, que são:

  • instrucional, cujo foco é o de esclarecer dúvidas e ensinar as melhores práticas para a realização do trabalho, equilibrando as expectativas para uma boa condução do dia a dia;
  • motivacional, que foca no engajamento e motivação por meio de metas e da conclusão delas.

É claro que, independentemente do feedback que seja aplicado, o processo deve ser feito com cuidado, atenção e disciplina para que seja algo de valor para todos.

Para isso, reunimos algumas dicas interessantes para implementá-lo!

Demonstre o valor da prática

Reúna-se com os profissionais. Mostre a eles os benefícios e como o feedback impacta no dia a dia dos colaboradores,com isso, a resistência será menor, e haverá mais segurança em ter o trabalho avaliado dessa forma. Quanto mais confortáveis eles se sentirem desde o começo, melhor serão os frutos colhidos com isso.

Crie uma cultura de empatia e de desenvolvimento no feedback

Vale reforçar: feedbacks devem ser empáticos, construtivos e nunca desmoralizadores ou feito sem que exista uma lição de desenvolvimento por trás das críticas.

Ainda veremos como não fazer um feedback, mas lembre-se que essa prática exige tato, cuidado e total personalização para abordar e também dar o tom da mensagem para cada funcionário de acordo com o seu perfil.

Importante, também, elogiar. Essa é uma maneira impactante — e eficiente — de derrubar as barreiras do funcionário e fazê-lo engajar com os feedbacks. Desde que sejam elogios sinceros, é claro, já que esse é todo o propósito da cultura de feedback.

Monte um calendário para oferecer feedbacks

Embora o feedback possa ser concedido a qualquer hora, tenha um calendário específico para isso. Pois garante mais profissionalismo à prática e ajuda a todos a se preparar para recebê-lo.

O feedback deve partir inclusive por parte do colaborador. Ele pode sugerir ideias e apontar obstáculos que têm interferido na sua performance, assim como oferecer um feedback ao trabalho do gestor. Essa é uma prática comum.

Procure abordar assuntos específicos

A melhor maneira de saber como o feedback impacta no dia a dia dos colaboradores é por meio da certeza do que você abordará. Se utilizar um discurso generalista, o profissional não saberá exatamente como melhorar, e você não vai ter um parâmetro claro de comparação.

Por isso, avalie bem os seus profissionais. Não os faça perder tempo discutindo assuntos irrelevantes, que poderiam servir para qualquer pessoa. Foque na verdadeira melhoria individual e coletiva que cada funcionário tem a oferecer.

Certifique-se de que o seu feedback foi absorvido

Ao terminar a avaliação, pergunte se o funcionário tem alguma dúvida, se ele discorda dos pontos abordados e deixe as portas abertas para que ele discuta os pontos, se preferir.

É importante que ele tenha compreendido os aspectos. A partir disso, o trabalho seguinte será acompanhar as métricas de acordo com o que foi proposto e combinado na conversa com o funcionário.

O que não fazer em um feedback?

Agora que já sabemos como o feedback impacta no dia a dia dos colaboradores, quais são os seus benefícios e como implementá-lo, vamos entender o que não fazer nesse tipo de situação. Algo que pode ajudar na construção de um clima organizacional aprimorado desde o princípio. Aí vão as dicas:

  • questões negativas, não explore somente elas — mesmo que sejam maioria — porque elas desestimulam. Procure, sempre, oferecer uma solução para que esse problema seja visto como um desafio a ser resolvido;
  • não foque na questão de “porque” algo foi ou deixou de ser feito, mas explore o “como”;
  • não force algo. Como o feedback é absorvido de uma maneira singular, por cada pessoa, é importante usar a prática como um diálogo em que ambos os lados se entendam;
  • elogiar o funcionário, não se limite somente a isso. O elogio agrega a falsa sensação de que nada precisa ser melhorado;
  • não use aspectos emocionais para o feedback. Use a razão e lógica para abordar os assuntos, mantendo-os exclusivamente no contexto de trabalho.

Viu como existem muitas questões a serem consideradas antes de entender como o feedback impacta no dia a dia dos colaboradores? Agora, caso esteja em busca de mais dicas que, direta ou indiretamente, podem aprimorar o ambiente de trabalho na sua empresa, aceite o nosso convite e curta a página da Xerpa no Facebook e também siga-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn para ficar por dentro, em primeira mão, de todas as nossas novidades.