Dia do Cinema Brasileiro: filmes para refletir sobre trabalho

Em 5 de novembro celebramos o Dia do Cinema Brasileiro, um evento importantíssimo para a arte nacional. E para prestar as nossas homenagens, criamos uma lista com filmes brs para você se inspirar e refletir sobre trabalho.

As nossas escolhas surgiram da ideia de passar uma reflexão individual, sobre o cotidiano que envolve relações de trabalho, expectativas profissionais e visão de carreira. Esperamos que a diversão com os filmes seja garantida e a contemplação da arte nacional seja válida. 

Acompanhe e aproveite! 🙂 

Filmes que fazem refletir sobre o trabalho

Os filmes são encantadores. Eles têm o dom de nos fazer rir, sonhar, nos emocionar e até mesmo despertar certas reflexões

Pensando nisso, selecionamos 8 filmes nacionais que remetem a vida dos trabalhadores brasileiros, retratando muitas vezes os desafios e os aprendizados que podem ser verdadeiras lições para nossas carreiras e vidas. 

Então, separe a pipoca e escolha por qual começar! 

1 – Que horas ela volta? (2015)

Para começar bem, a nossa primeira indicação conta a rotina de uma personagem muito presente nos lares brasileiros: a empregada doméstica

O drama sobre a vida de Val, uma empregada interpretada por Regina Casé, mostra os mais comuns conflitos que acontecem entre esses profissionais e seus patrões, que aqui são representados por uma família de classe média alta.

Além da emocionante história sobre a relação de uma mãe com sua filha, o filme faz uma crítica construtiva sobre as desigualdades da sociedade brasileira, a desvalorização dos trabalhadores operacionais e a importância de todas as profissões.

Veja o trailer de Que Horas Ela Volta:

2 – São Paulo S.A. (1965)

Agora, vamos de clássico! Este filme revela como era a indústria brasileira entre os anos de 1957 e 1961, focando na história de Carlos, um homem que pertence à classe média da época. 

A vida profissional de Carlos gira em torno das oportunidades que lhe vão sendo dadas pela sociedade, chegando até ser contratado por uma grande empresa. Depois desse emprego, ele parte para um novo cargo em numa fábrica de peças de automóvel, da qual acaba por se tornar gerente. 

Mas com o passar do tempo, o personagem leva uma vida de chefe de família, que trabalha muito, ganha bem, mas vive infeliz. E sem perspectivas, escolhe fugir.

E aí, você já passou por isso ou às vezes não sente muito propósito no que faz? Acho que esse filme pode ser pra você!

Veja o trailer de São Paulo S.A.: 

3 – Arábia (2018)

Passando a bola para filmes de longa-metragem, essa história pode ser considerada um autorretrato dos operário no mercado brasileiro. 

No longa, André, que trabalha em uma fábrica, encontra o diário de Cristiano, um outro metalúrgico que está hospitalizado. A partir de então, o jovem conhece a saga de um operário que se aventura por todo o estado em busca de trabalho, conhece a paixão e sofre por não saber escrever para expressar seus sentimentos. 

A trama encanta por mostrar de uma maneira única a simplicidade de quem não tem muito, por demonstrar a paralisia social e a falta de um novo modelo trabalhista, que abala o cenário socioeconômico do trabalhador.

Veja o trailer de Arábia: 

4 – Tropa de Elite (2007)

E trazendo para a nossa lista um pouco de aventura, a saga Tropa de Elite conta com 2 filmes que mostram a vida dos policiais no Rio de Janeiro. 

A história cheia de reviravoltas foca na vida do Capitão Nascimento, da força especial da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que treina dois recrutas novatos para que possam sucedê-lo.

Em ambos os filmes, Tropa de Elite traz à tona ao telespectador o poder das boas escolhas, mostrando que em uma corporação nem sempre é possível manter tudo nos eixos e revela que algumas profissões requerem muito controle emocional e preparo para lidar com ambientes de pressão, desvios de conduta ética vindos dos demais e outras adversidades.

Veja o trailer de Tropa de Elite:

5 – Nise – O Coração da Loucura (2017)

Já essa indicação é para quem gosta da área de psicologia e filmes baseados em fatos reais. O filme se passa nos anos 50, contando sobre a vida de Nise da Silveira, uma enfermeira que revolucionou o tratamento psiquiátrico da época. 

Em vez de isolamento e eletrochoques, Nise começa tratar dos pacientes de um modo diferente, acessando o inconsciente pela arte e trazendo o bem-estar para o lugar.

O que mais encanta nessa arte é a reflexão de irmos além das expectativas para encontrar soluções para problemas. Como o amor pela profissão é essencial para fazer mudanças significativamente positivas para a sociedade.

Veja o trailer de Nise: 

6 – O inimigo (2018)

Buscando mostrar a realidade de muitas crianças e adolescentes que começam a trabalhar cedo demais, este filme retrata um cenário bem triste: crianças perdendo a infância e a chance de educação por terem que pegar no batente.

Vânia de 12 anos é a personagem principal deste filme, que vivia feliz e era como qualquer criança. Um dia seu pai abandona a casa e sua mãe, sem outras opções,  a leva para morar com os seus tios, mas sua vida muda completamente. Agora, a garota tem que acordar de madrugada, ir para o boteco dos tios trabalhar e viver em um lar complicado.

O aprendizado maior dessa história vem por meio da reflexão de sobre privilégios na sociedade: de um lado, crianças têm oportunidade de desenvolvimento e, do outro, crianças perdem a infância por ter que sobreviver.

Veja o trailer de O Inimigo: 

7 – Estou me Guardando para Quando o Carnaval Chegar (2019)

“As relações modernas de trabalho representadas através de uma cidade que é a capital nacional do jeans. Para o O Estado de S. Paulo um filme que ‘coloca o liberalismo econômico em xeque e reflete o Brasil no espelho’.” Vitrine Filmes.

O documentário narra e observa de forma empática o trabalho na cidade de Toritama, em Pernambuco. O cineasta Marcelo gomes entrevista trabalhadores da região sobre a produção massiva nas usinas de calças jeans, onde as oportunidades de trabalho são vastas, mas precárias e informais. O filme também retrata o paradoxo do lazer interpretado como luxo nas atuais relações de trabalho.

Veja o trailer de Estou me Guardando para Quando o Carnaval Chegar

8 – Bônus! #ClássicoBr

E para você que ficou com um gostinho de quero mais, decidimos mandar um bônus:

Central do Brasil (1998)

Para fechar com chave de ouro nossa lista de filmes para carreira, vamos contar mais sobre um clássico premiado do cinema brasileiro. 

Você já deve ter ouvido a resenha desta arte, mas o filme conta a história de Dora, interpretada por Fernanda Montenegro, que trabalha na estação Central do Brasil, no centro da cidade do Rio de Janeiro como escrivã, escrevendo cartas para analfabetos que passam por lá. 

Em um dia qualquer, ela conhece uma mãe que conta que seu filho pequeno tem o sonho de conhecer o pai, então, Dora decide ajudar um menino e o leva para o interior do Nordeste.

Além da belíssima história, esse filme nos faz pensar sobre encontrar propósitos no trabalho, trazer inovações e atitudes prestativas, usar o nosso dom para ajudar pessoas.

Veja o trailer de Central do Brasil: 

Dia do Cinema Brasileiro

Dia do Cinema Brasileiro é comemorado internacionalmente em 5 de novembro.  Este dia foi reservado para relembramos a primeira exibição pública de cinema no país.

Aqui no Brasil, nós também comemoramos a sétima arte no dia 19 de julho, uma homenagem à Afonso Segreto, que no mesmo dia em 1898,  foi o primeiro cinegrafista do país a ter registrado por câmera imagens em movimento.

As imagens são da entrada da baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, a bordo do navio francês Brésil, sendo considerada a primeira filmagem em território nacional.

Ah! E se você sabe que algum amigo(a) que curte cinema brasileiro e que irá gostar dessa nossa lista, aproveite para compartilhar nas redes sociais.