28 informações essenciais para o currículo

O documento mais importante para a conquista de uma oportunidade no processo seletivo é, também, uma das maiores dúvidas dos candidatos. Afinal, dependendo do que está descrito no arquivo, pode deixar de ser um aliado na busca por um emprego e, na realidade, prejudicar o profissional. Por isso, veja aqui informações para o currículo.

Pensando nisso, o objetivo desse artigo é apresentar quais informações devem ser incluídas nesse arquivo, de maneira a desenvolvê-lo com atenção e cuidado para ter um excelente desempenho na seleção!

Importante: a grande maioria de informações essenciais para o currículo é obrigatória. Então, a falta deles pode fazer com que você seja descartado, mesmo que tenha o perfil desejado e esteja completamente alinhado à vaga.

Antes de continuar lendo, abra o seu currículo no computador ou pegue uma cópia e deixe por perto. Assim, poderá sinalizar o que não descreveu para realizar as correções necessárias.

Mas se você está a procura de modelos de currículo grátis, aqui na Catho há diversos arquivos para baixar. Conheça sobre os documentos e escolha o mais adequado a sua profissão.

Dados pessoais

Trata-se da primeira sessão. Ai está as informações mais importardes para o currículo, pois estará em destaque como os recrutadores podem obter uma comunicação direta com você.

Aqui deve conter:

  1. nome completo
  2. endereço (entenda que pode ser relevante para o recrutador saber o seu tempo de deslocamento até o trabalho)
  3. celular ou um telefone de contato
  4. e-mail

Por mais que pareça bobeira, é preciso ter muita atenção na hora de escrever as formas de contato (telefone e e-mail), evitando que o profissional de RH tenha dificuldade em te localizar.

Em processos seletivos grandes, é muito comum eu pegar, pelo menos, um caso assim, no qual vou ligar para chamar o candidato para as próximas etapas da seleção e, simplesmente, não consigo falar com a pessoa. Isso acontece porque o telefone está errado e não foi disponibilizado outro de recado para, por exemplo, se descarregar a bateria ou o e-mail também não está sendo entregue.

Mias sobre você

Depois desses quatro itens, eu considero interessante acrescentar:

  1. nacionalidade
  2. estado civil
  3. idade
  4. número de filhos

Algumas pessoas não gostam de colocar essas informações no currículo e consideram essas informações controversas, por acharem que existem chances de serem prejudicadas, mas eu aconselho a incluir.

Isso porque se, de alguma forma, a empresa for te discriminar por esses detalhes, o seu trabalho não vai conseguir ser produtivo. Você não vai conseguir desempenhar um bom trabalho porque, em determinado momento, isso vai ser descoberto.

Então, por que trabalhar em um local que já discrimina de cara? Pense na inclusão desses detalhes como uma espécie de filtro. Se uma empresa for te julgar pela quantidade de filhos, não é o melhor lugar para você.

Assim, terá a oportunidade de conquistar uma oportunidade com quem não se importa negativamente com esses pontos. Por mais que esteja enfrentando certo desespero em se recolocar, lembre-se que iniciar em uma vaga é um processo cercado de expectativas e não é prático entrar, ficar dois meses, perceber que não tem a ver com o seu perfil e sair.

Objetivo

Essa é a sessão seguinte, na qual você precisa entender que não precisa escrever algo como “Quero trabalhar em uma empresa legal, onde eu possa me desenvolver e gerar resultado”.

Não! Nesse ponto, só é necessário informar o cargo e a área de interesse. Assim, o recrutador consegue olhar o currículo e saber para qual vaga está se candidatando ou em qual, nas que estão abertas, se encaixa melhor.

Experiências profissionais

Na minha análise, trata-se da sessão mais importante do currículo e na qual você deve ter mais atenção ao desenvolver. É fundamental destacar:

  1. período de entrada e saída do cargo ou da empresa
  2. nome da organização
  3. breve descrição do porte e da área de atuação da empresa (uma vez que o recrutador pode não conhecê-la e precisa ter o mínimo de dados para compreender melhor as responsabilidades envolvidas)
  4. cargo
  5. atribuições escritas em tópicos

Para quem tem cargos de coordenação em diante, incluir cases de sucesso é um diferencial para demonstrar resultados gerados pela sua contribuição direta.

Formação acadêmica

Nessa parte, é importante seguir, também, uma ordem, citando:

  1. o período ou a previsão de conclusão
  2. o tipo de graduação
  3. o nome do curso
  4. a instituição de ensino e a cidade onde se localiza esta instituição

Por mais que seja simples, é interessante compartilhar essas informações para que o recrutador entenda o seu background acadêmico.

Idiomas

Nem todos vão fazer uso dessa sessão, mas costuma ser bem comum incluí-la. No entanto, não é preciso exagerar ao apresentar os detalhes, sendo necessário, somente, mencionar a língua em questão e nível de proficiência (básico, intermediário, avançado ou fluente).

Evite colocar o nome do curso, uma vez que cada escola tem a sua particularidade e, na verdade, você irá causar uma sensação estranha no recrutador, que não terá como saber a sua qualificação exata nesse idioma.

Outras qualificações

A última parte do currículo é o espaço disponível para citar os cursos de curta duração que compõem o seu perfil profissional. Aqui, você pode manter a mesma estrutura da formação acadêmica, diferenciando apenas pela importância de citar a carga horária.

Portanto, informe:

  1. o mês e ano de conclusão
  2. o nome do curso
  3. a carga horária
  4. a instituição de ensino
  5. a cidade onde se localiza esta instituição [

Seções Extras

Agora, para finalizar o texto de hoje, duas dicas finais: sessões que podem ou não ser incluídas no currículo, dependendo da sua experiência profissional!

EXTRA – Certificações

O objetivo é demonstrar certificações que comprovam conhecimento em uma metodologia específica ou ferramenta. Isso costuma ser mais presente na área bancária ou de TI.

Para descrevê-las, apresente apenas a data em que a obteve, o nome da mesma e a instituição responsável pela emissão.

EXTRA – Viagens internacionais

Nesse caso, não são experiências a lazer e turismo. Na verdade, tratam-se de viagens de intercâmbio ou a trabalho, nas quais devem ser explicados o período e, de forma resumida, para onde foi, o que fez e quais os principais aprendizados.

Muitas pessoas esquecem de comentar essas informações, mas é extremamente relevante e pode ser um diferencial entre você e outro candidato na escolha por parte do recrutador.

Depois de descobrir as informações para o currículo e anotar as correções que precisam ser realizadas, chegou o momento de colocar isso em prática e adequar o documento ao que realmente interessa para os responsáveis pelo recrutamento e seleção!

Sobre o autor

Allan Lopes é  Coaching Sistêmico, membro da Internacional Coach Federation, Master Practitioner em PNL e especialista em gestão de performance e em processos de mentoring e coaching aplicados ao ambiente corporativo. Sócio da Soar Desenvolvimento Humano e responsável pela área de Consultoria em Recursos Humanos.