É possível fazer minha empresa produzir sem minha presença full-time?

Já adianto que sim, é possível! Manter a força de trabalho produtiva mesmo sem estar o tempo inteiro na empresa é um objetivo realizável, e que vem sendo buscado, cada vez mais, por empresários em todo mundo. 

Além de manter a receita dos negócios positiva, essa conquista ainda permite que o chefe assegure um estilo de vida de verdadeira liberdade e satisfação. Justamente por isso, é uma condição gerencial tão desejada.

Para otimizar esse entendimento, vamos explorar a máxima “como fazer minha empresa produzir sem minha presença full-time”, por meio dos seguintes pontos:

  • sua empresa trabalha para você ou é você que trabalha para ela?;
  • como manter a produtividade da equipe sem estar na empresa?;
  • as principais dicas para manter a produtividade do negócio sem o chefe.

Para entender melhor, continue acompanhando este post. Separamos todos os detalhes e fundamentos para explicar a questão “como fazer minha empresa produzir sem minha presença contínua”. Boa leitura!

Sua empresa trabalha para você ou é você trabalha para ela?

É fato que ter um negócio próprio é muito mais desafiador do que apenas prestar serviços a ele, mantendo uma posição assalariada, não é mesmo? 

Ser dono ou presidente da própria empresa exige uma série de responsabilidades, compromissos e sacrifícios, que podem acabar consumindo 100% do seu tempo se não houver mecanismos estratégicos de controle.

Seja pela necessidade de centralização do poder, microgerenciamento, falta de confiança na equipe, obsessão por metas ou qualquer que seja o perfil ideológico desse empresário; a falta de equilíbrio pode comprometer não só a qualidade da sua vida pessoal como também a autonomia da empresa.

Com isso, ele mesmo se força a ser um refém do negócio, colocando a empresa como a sua patroa. Inconscientemente, ele fez com que o desenvolvimento do negócio não funcione de maneira produtiva e/ou lucrativa sem a sua presença, tornando o seu acompanhamento full-time uma exigência operacional.

Em outras palavras, a carência de um mecanismo inteligente de gestão, que permita a empresa transcender o próprio chefe para continuar funcionando adequadamente, mesmo sem ele por perto, pode retardar a conquista de outros objetivos verdadeiramente importantes para esse gestor e comprometer a evolução do negócio. 

Assim, o questionamento que lhe fica é: “como fazer minha empresa produzir sem minha presença?”. A seguir vamos explorar ações que podem dar início a esse processo de transformação e responder a essa questão com segurança!

Como manter a produtividade da equipe sem estar na empresa?

Para preparar a empresa e os colaboradores para essa nova condição de gestão, algumas ações essenciais devem ser tomadas por esse chefe. Confira as principais!

Faça um diagnóstico organizacional

Antes de responder a máxima “como fazer minha empresa produzir sem minha presença full-time?”, é preciso entender a fundo a estrutura organizacional do negócio.

Como o olhar do gestor, que é interno a empresa e intimamente ligado à organização por afeto, pode comprometer a análise, é interessante que um consultor externo seja acionado para colaborar com esse diagnóstico.

Além de explorar as operações técnicas e capacitações essenciais, esse consultor deve buscar conhecer as opiniões da força de trabalho (independentemente de cargo ou função), bem como o seu modelo mental. 

Desta forma, fica mais confiável a identificação de dados como: 

Identifique os verdadeiros objetivos

Outra ação inicial essencial é a identificação dos reais objetivos de vida desse empresário. 

Mesmo que não tenham nenhum vínculo direto com os propósitos do seu negócio, é importante conhecê-los, em detalhes, para traçar estratégias que os sustentem a longo prazo.

Afinal de contas, estruturar mecanismos que assegurem um funcionamento rentável e produtivo a empresa, sem que exista a co-dependência com o seu proprietário ou presidente, tem como uma de suas finalidades dar tempo e condições para esse chefe explorar novas experiências. 

Para isso, é indispensável que ele saiba quais são elas. Além disso, caso seja necessário, essas informações ainda podem ajudá-lo a dimensionar a própria empresa, orquestrando com menos risco o direcionamento de parte dos seus lucros para esse fim. 

Descentralize o poder e a tomada de decisões

Uma das ações mais importantes que reforçam a resposta da questão “como fazer minha empresa produzir sem minha presença?”, é a reconfiguração da estrutura de poder do negócio. 

A maior parte das empresas que dependem do acompanhamento contínuo de seus chefes para prosperar costuma funcionar sob o comando de uma liderança centralizadora. 

Seguindo uma lógica simples, investir na descentralização e flexibilização da tomada de decisões é essencial para preparar a equipe para essa nova fase da empresa.

Mais do que fiscalizar todas as etapas de todas as operações, o chefe deve respeitar o papel dos líderes internos ou substituí-los caso seja necessário, e definir metas claras e bons indicadores de desempenho.

Com o passar do tempo, a autonomia é reforçada nos colaboradores e a confiança para executar operações importantes é conquistada, o que dá mais tranquilidade ao gestor e segurança ao negócio. 

Encontre um sucessor adequado

Não por questões de afinidade, relacionamento pessoal, amizade ou tempo de casa, mas por capacitação. O chefe deve encontrar um sucessor apropriado para ser capaz de dizer que “eu consigo fazer minha empresa produzir sem minha presença full-time”.

Independentemente de qual for o objetivo final desse empresário, seja ampliar o negócio com franquias, entrar em um outro negócio, investir na vida pessoal, viajar sem data de retorno, ou ainda, viver de renda, ele precisa encontrar um profissional que olhe sistematicamente para a sua empresa para conseguir realizá-lo.

É comum que em empresas com uma gestão centralizadora não exista alguém que esteja preparado para assumir um cargo de gerência, diretoria ou presidência. É umas das muitas consequências desse tipo de comando.

Por isso, o chefe deverá buscar no mercado um profissional capacitado e preparado para lidar com esse desafio.

Transforme a cultura organizacional em um valor

É fato que toda empresa de sucesso tem uma cultura muito bem enraizada na sua força de trabalho, estando o chefe presente no escritório ou não. 

Por isso, outra ação importante nesse processo é transformar a cultura organizacional da empresa em um valor fundamental. Mais do que compartilhar hábitos e objetivos, o colaborador deve viver o negócio como se fosse seu.

Somente assim, o chefe será capaz de afirmar que “fazer minha empresa produzir sem minha presença é apenas uma consequência da nossa cultura”.

Uma forma interessante de estimular esse valor no colaborador é respondendo a qualquer questão com uma outra específica: “o que você faria se fosse o chefe?”. 

A criação dessa consciência de dono desenvolve sentimentos de confiança no próprio trabalho, dá liberdade criativa, reforça a motivação, fortalece o senso de equipe e união, e assim por diante. 

Aproveitando a imersão no tema da cultura organizacional, leia também esse outro artigo que reforça a importância de seus valores.

Prepare a equipe para a transição

Para responder a máxima “como fazer minha empresa produzir sem minha presença full-time?”, é preciso basicamente preparar a equipe para o afastamento do chefe. 

Consultando o diagnóstico organizacional realizado anteriormente, é possível identificar as operações que necessitam de correção, os profissionais que precisam de um suporte (técnico e emocional) mais intensivo, as atividades que exigem capacitação reforçada, e assim por diante.

Com isso, os treinamentos necessários para garantir o funcionamento adequado podem ser definidos e um manual de instruções para comandar o negócio pode ser criado.

Esse documento consiste em um conjunto de regras que os funcionários podem seguir para executar tarefas repetitivas, garantindo que a empresa se mantenha em funcionamento qualificado mesmo sem a presença do chefe.

Além disso, o manual ainda assegura que a ocasional substituição de colaboradores não afete o desenvolvimento das atividades padrões.

Use ferramentas de gestão inteligentes

Por fim, a última ação que vamos explorar neste post é o uso de ferramentas gerenciais inteligentes. O chefe deve fazer uma busca criteriosa e conhecer as opções disponíveis no mercado, assim um recurso eficiente e eficaz pode ser empregado para facilitar essa transição e nova supervisão.

Esse tipo de solução permite realizar operações como:

  • planejar todas as etapas de um projeto;
  • compartilhar o projeto com outras pessoas;
  • delegar tarefas;
  • identificar os responsáveis por cada tarefa;
  • monitorar o andamento de cada etapa do projeto;
  • acompanhar os indicadores de desempenho;
  • fiscalizar prazos;
  • identificar e sinalizar falhas;
  • consultar o tempo gasto com cada operação;
  • enviar mensagens;
  • organizar operações por equipes.

Em outras palavras, essas ferramentas dão a condição ao chefe de dizer “sei fazer minha empresa produzir sem minha presença”.

Com o auxílio de profissionais engajados e dos recursos tecnológicos certos, o empresário pode se afastar com mais tranquilidade e manter o conhecimento do que acontece no seu empreendimento.

Quais as dicas para manter a produtividade do negócio sem o chefe?

Como vimos até aqui, a frase “quero fazer minha empresa produzir sem minha presença full-time” é uma possibilidade. Para facilitar o processo, separamos algumas dicas especiais! Confira a seguir. 

Ofereça benefícios diferenciados

Uma dica importante é oferecer benefícios diferenciados e estratégicos para reforçar a valorização que a empresa tem pela sua força de trabalho e assim, estimular a valorização reversa. 

Algumas medidas que podem ser tomadas são: oferecer participação nos lucros, oferecer atividades de lazer, dar aulas de yoga e meditação, dar auxílio creche, oferecer suporte emergencial, ter um casual day, ser pet friendly, oferecer salário sob demanda, dentre outros.

Mantenha a equipe motivada

Manter a equipe motivada é uma regra para qualquer empresa que vise o crescimento. Por isso, o mesmo vale para o chefe que diz “quero fazer minha empresa produzir sem minha presença constante”.

Algumas medidas que podem ser adotadas são: treinamentos de capacitação, cursos pagos pela empresa, iniciativas em inteligência emocional, coaching, eventos organizacionais, reconhecimento individual e coletivo, bonificações, dentre outros.

Desenvolva novos líderes constantemente

Outra dica importante para facilitar o afastamento do chefe sem prejudicar o andamento do negócio é o desenvolvimento contínuo de novos líderes. 

Essa iniciativa permite manter por perto profissionais que carreguem um DNA bastante parecido com o do empresário, seja no jeito de pensar e agir ou no que consideram adequado ou não.  

Algumas medidas que podem ser seguidas são: dar prioridade para as áreas essenciais para o funcionamento do seu negócio (Gestão da Operação, Finanças e Recursos Humanos), contratar profissionais mais experientes, capacitar os gestores atuais, identificar colaboradores com perfil de liderança e treiná-lo, e assim por diante. 

Não tenha pressa

A quarta dica é não ter pressa. “Consigo fazer minha empresa produzir sem minha presença constante” não é uma frase que contemple operações de curto prazo. 

A ideia é que a equipe seja responsável pelo desenvolvimento do trabalho e o chefe tenha plena confiança e só interfira em assuntos essenciais. Por envolver operações de grandes responsabilidades, o desenvolvimento dessa confiança pode demandar tempo. 

Por isso, uma medida que pode ser tomada para controlar o uso do tempo é criar um planejamento. Assim, o chefe pode definir um prazo razoável para se afastar com segurança e conforto.

Ser chefe é um desafio claro, mas pode ser muito mais prazeroso e vantajoso ao lado de uma equipe de confiança que seja capaz de tocar o negócio mesmo sem fiscalização.

A resposta da máxima “como fazer minha empresa produzir sem minha presença full-time” é justamente essa. Além de ganhar tempo para investir em outros objetivos importantes, o empresário ainda cria um negócio com vida própria.

Portanto, seguindo as ações exploradas neste post, o afastamento do chefe da empresa e a transição do negócio podem ser feitos com tranquilidade e resguardo. 

Gostou do artigo? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais com amigos empresários que também possam estar considerando essa evolução gerencial.